top of page

Como está sua autoestima?

Atualizado: 29 de jan. de 2020

A ciência e as observações pessoais comprovam que a autoestima relaciona-se diretamente com nossas tarefas cotidianas de estudo, trabalho e comunicação social com as pessoas de nosso ciclo de amigos e familiares.

Saiba que a autoestima é o que definirá suas habilidades de se relacionar com as pessoas, isso pode implicar em: viver sofrendo e pensando que a vida não faz o menor sentido, ou viver melhor e sem temores.

Imagine alguém que sofre com a autoestima baixa, certamente esta pessoa não conseguirá a habilidade necessária para se comunicar com o mundo e sentirá dificuldades de entender a si mesma.

Certamente que a vida dessa pessoa tenderá a parar pois não saberá como agir diante das mais diversas situações do cotidiano.

Por outro lado, alguém com elevada autoestima compreenderá rapidamente que a vida possui problemas e todas as pessoas têm defeitos. Ao reconhecer isto desenvolverá a habilidade de comunicar, não irá se isolar no mundo e viverá confiante de que aqueles problemas são solucionáveis.

Mas, o que é mesmo a autoestima?

A forma como você enxerga a si mesmo e como se posiciona frente as pessoas reflete a sua autoestima. É fato que o relacionamento entre você e seus pensamentos e sentimentos e o valor que dar para si revela como anda a sua autoestima.

Algumas palavras têm tudo a ver com autoestima, ou seja, elas explicam com propriedade o que isto significa. Para facilitar a compreensão, listamos algumas dessas palavras:

• Autoadmiração • Autoconfiança • Autoaceitação • Autorrespeito • Autoavaliação

Em outras palavras, a autoestima diz sobre o grau de confiança, de aceitação, de respeito e de admiração consigo mesmo. Se estas virtudes estão baixas, então sua autoestima está rebaixada. Porém, se o grau dessas habilidades está alto, logo sua autoestima é alta.

Como identificar autoestima baixa?

Alguns sinais podem ser vistos em pessoas com baixa autoestima. Em situações que apresente alguns dos seguintes sinais, é aconselhável procurar um psicanalista para ajudar:

• Sensação de incapacidade para resolver conflitos internos; • Não acredita em si mesma, em sua capacidade de tomar decisões; • Acredita que a todo instante é vítima de pessoas e situações; • Está constantemente se culpando de coisas não relacionadas a si mesma; • Não consegue visualizar seu triunfo diante de alguma realização;

• Sente inabilidade em todas as questões da vida; • Tem comportamento de submissão nos relacionamentos; • Está desistindo de todos ou quase todos os seus objetivos de vida; • Não possui ambições para o futuro pessoal, profissional e nos relacionamentos; • Não possui forças para buscar por si só melhoras em todas as esferas da vida; • Não encontra vontade e desejo de lutra por aquilo que lhe pertence; • Está a todo instante buscando a opinião de outras pessoas; • Despreza suas próprias opiniões.

Conheça as causas da autoestima rebaixada

As causas da baixa autoestima geralmente surgem na infância quando a criança é submetida a situações que prejudicam o desenvolvimento saudável de sua autoestima.

Dessa forma, quando a pessoa é submetida a tratamentos de humilhação, desprezo e rejeição, quando sofre perdas familiares ou abusos de qualquer natureza, ou ainda, quando exposta demasiadamente a situações de dependência emocional ou financeira, a possibilidade de ter rebaixada sua autoestima é enorme.

E quais as consequências da autoestima?

Além do problema direto de autoestima quando se expõe a criança a situações abusivas e extremas, aumenta-se a possibilidade de surgir transtornos psicológicos e desenvolver comportamentos antiéticos ou vícios.

Por exemplo, o quadro da autoestima baixa pode evoluir para um estado de depressão, como também pode desencadear bulimia ou anorexia. Além disso, o adulto poderá se lançar no mundo do álcool e das drogas.

Como a psicologia ajuda em casos de autoestima baixa?

A psicologia e a psicanálise são capazes de ajudar qualquer pessoa a elevar sua autoestima, mesmo que as causas tenham surgido ainda na infância.

A ajuda vem através de um tratamento focado em substituir os pensamentos ruins e retirar a autoavaliação negativa de si mesmo. Substitui-se pelos sentimentos e ações de autoadmiração, autoconfiança, autoaceitação, autorrespeito e autoavaliação positiva.

Certamente que com a psicoterapia você desenvolverá uma autoimagem saudável, sem distorções de pensamentos, com visão realista e autoconhecimento.

A Aliança Espaço Terapêutica possui profissionais que podem te ajudar a superar a baixa autoestima. Não são os psicólogos quem te dirão o melhor para você, mas a psicoterapia desenvolvida com acompanhamento desses profissionais é o que te fará uma pessoa mais segura e confiante


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page